2/17/2015

Residência de Criação no Centro de Criação de Candoso em Guimarães
Março de 2015
Projecto de Pesquisa - Caminhar

Caminhar, é um espectáculo em forma de caminhada, não se trata de um espectáculo em percurso, pontuado por performances ou cenas dentro do espaço público, mas de um espectáculo, em que o público aceita caminhar lado a lado com os artistas, questionando-se sobre o que o move e descobrindo o caminho a cada novo passo que dá. O que acontece quando uma actriz (Maria Gil), uma bailarina (Sara Anjo) e um músico (Neil Davidson) decidem andar a pé e a partir dessa caminhada criarem um espectáculo em conjunto? Esse é o ponto de partida para a residência de criação e de pesquisa que iremos realizar no Centro de Criação de Candoso em Guimarães.

Em 2014, começámos a trabalhar na dramaturgia deste projecto realizando caminhadas artísticas em Carnide, Lisboa, como forma de levantarmos algumas questões dramatúrgicas que queremos pesquisar.

Eis algumas dessas questões:
  • Quem caminharia?
  • Para onde?
  • É sobre antropologia/geologia?
  • Em que sentido vai: da performance ao caminhar ou do caminhar à performance?
  • De onde virá o material para o espectáculo?
  • A caminhada terá um carácter de ficção científica, real ou ainda outro?
  • Há participantes ou público?
  • Qual será a duração da caminhada/espectáculo?
  • O foco deste projecto somos nós artistas, ou será mais sobre evidenciar outras questões?
  • Haverá uma transferência de conhecimento ou é sobre a experiência?
  • Haverá um conjunto de premissas a provar/desaprovar?
  • E instruções para se caminhar; um mapa, uma partitura de coisas para serem ditas e feitas ao longo do percurso… e caminhadas sem objectivo?
  • E o caminhar casa-escritório, casa-fábrica; o caminhar que se nega em muitas situações actuais de trabalho, onde uma pessoa tem de estar sentada durante todo o dia?
  • Caminhadas rítmicas, à volta de um determinado espaço durante um dia inteiro: um parque de crianças,um campo aberto, um sítio arqueológico ou um espaço que está em construção?
  • Caminhar como forma de moldar o corpo (de alterar a forma física)?
  • Caminhar como formação de sujeito (alterar a nossa percepção/ilusão do eu)
  • Como é que seria um caminhar niilista?


Trata-se de um trabalho em colaboração que envolve ainda uma ideia de contaminação entre as seguintes áreas artísticas: teatro, dança e música que giram em torno de um eixo comum: a escrita (dramatúrgica, coreográfica e composicional).

Para além das premissas iniciais, o espectáculo será criado a partir das seguintes derivas:

#1. Caminhadas Individuais;
#2. Leituras em Andamento;
#3. Conversas com Estranhos;
#4. Paisagens Cenográficas;
#5. O Meu Corpo é a Minha Casa;
#6. Paisagens Sonoras;
#7. Performances em Andamento.

No final da residência em Guimarães realizar-se-á uma apresentação informal pública, um caminhada artística, que partirá das sete derivas que darão também origem ao espectáculo final.